jesus-era-comunista-e-revolucionario-afirma-padre-catolico-grande-96

É, eu sou socialista. Mas também sou cristão.

Deixe-me lhes contar uma história. Não quero influenciar ninguém. Cada um escolhe sua ideologia através de suas próprias perspectivas, experiências de vida, meio social e familiar. Este é apenas um relato de uma pessoa que saiu da ilusão subliminar contada repetidamente, diariamente, exaustivamente até construir sua “verdade”.

Eu me lembro quando eu tinha dez anos de idade lá no início da década de 80, 1982 especificamente, quando foi realizada a primeira eleição direta para governadores, deputados, prefeitos e vereadores desde os anos 1960. Nesta eleição, o “voto vinculado” era a regra, ou seja, você escolhia um partido e votava nos candidatos daquele partido para todos os cargos, caso contrário seu voto era anulado.

Meu pai, um comerciante que veio da roça e que só tinha estudado até a quarta série, era candidato a vereador pelo PDS, antiga ARENA. Para quem não sabe o que é PDS e ARENA, pois eles adoram trocar de nome para ver se a gente esquece dos seus desatinos, é o que é hoje o DEM (que já foi também PFL) e o PP (que também já foi PPB). Não falei que eles adoram trocar de nomes?

Bom, voltando ao que eu ia dizendo: meu pai era candidato a vereador por este partido porque evidentemente fora convidado a participar da política por ser uma pessoa bem quista na sociedade Leopoldinense (MG), pois além de comerciante e micro-empresário, ele participava de um grupo de orações denominado DECOLORES que além de se reunir para orar e ler trechos da Bíblia, ajudavam a igreja local em projetos sociais para as comunidades carentes.

Lembro-me te estar passeando com ele e visto um muro com diversos cartazes da foice e do martelo cruzados. Uma típica alusão ao comunismo. Eu fiquei assustado e perguntei para ele “pai, o que esses comunistas querem? Eles acham que alguém será capaz de votar nestes nazistas que comem criancinhas?”. Sinceramente, não me lembro da resposta. Talvez ele tenha dito alguma coisa, mas o que ficou na minha memória foi minha perplexidade e indignação, pois jamais imaginava ser possível isto acontecer no Brasil. Vivíamos uma ditadura, mas eu sempre gozei de liberdade. Não senti a repressão na pele. Só a repressão dos meus Pais.

Ele, claro, perdeu a eleição. Não por que as pessoas não gostassem dele, muito pelo contrário. Ele era um dos únicos brancos que frequentava o Clube Cotubas, um clube de negros da cidade. Ele se dava bem com todos, mas perdeu porque as pessoas estavam cansadas da ditadura e o PDS era o partido da situação. Se você pesquisar no Wikipédia verá que basicamente só dois partidos levaram aquela eleição: o PMDB e o PDS. Na minha cidade, venceu o PMDB.

Nunca ouvi do meu pai, ou da minha mãe que comunista era nazista ou que comiam criancinhas. Mas estava no meu imaginário. Talvez, ou muito provavelmente, eu devo ter assistido isto na TV, pois era o único meio de comunicação que eu tinha, além da família, igreja, amigos e escola. Meus pais não tinham ideologia política. Eles eram pessoas simples e religiosas que vieram do campo para a cidade e com muito custo e trabalho conseguiram dar algo para seus filhos que nunca tiveram de verdade: educação. Educaram oito filhos, a maioria de nós formados na faculdade e pós-graduados.

E eles fizeram questão, por já terem uma situação financeira melhor, que os seus dois últimos filhos, eu incluso, estudassem na escola particular das freiras do Colégio Imaculada Conceição. Minha mãe sabia do valor da educação. Ela mesma queria ser professora. Não conseguiu, mas vingou seu desejo em mim e nas minhas irmãs. Minhas irmãs, inclusive, chegaram a ser diretoras de escola. Nossa mãe se orgulhava da gente, mas a gente se orgulha dela mais ainda. Obrigado Terezinha, por não ter desistido de nós.

Bom, voltemos ao comunismo. Quando eu vim morar em Joinville, em 1987, eu fui estudar no colégio Dom Pedro II, uma escola adventista. Eu estava fazendo a oitava série e, nosso professor de história e OSPB, Ismael, adotou, sei lá por que razão, um livro didático escrito pelo Frei Betto. Pimba! Um comunista.

O livro contava a estória de vários garotos e garotas que frequentavam uma escola, cada qual de uma classe social e etnia. Suas diferenças, seus problemas, seus desejos e seus recursos financeiros eram o mote da estória. Ao decorrer do livro ele elencava os diversos tipos de ideologia, dando destaque ao capitalismo, ao socialismo e ao comunismo.

Ele falava de modo simplista o que é a mais-valia, a força de trabalho e como eram as relações entre patrões e empregados, e como os trabalhadores ao longo do tempo foram conquistando direitos como redução de carga-horária, férias, décimo terceiro, fundo de garantia etc. Mostrava também as diferenças de ambas ideologias e deixava para nós, os leitores, tirarmos nossas conclusões.

É lógico que, para um religioso e também comunista, isto não parece combinar muito, mas eu percebi que aquela estória de que comunista era a mesma coisa que nazista e ambos comiam criancinha era balela. Alguém (mídia e governo) implantou aquela ideia na minha cabeça para me confundir e odiar os comunistas. E eu os odiava até ler e entender os conceitos e a filosofia de Marx. E o comunismo combinava com tudo que Jesus Cristo nos ensinou.

Ninguém me disse isso, não estava escrito no livro didático, não havia nenhuma menção ou referência. Eu apenas deduzi baseado em fatos, nos ensinamentos dos meus pais, da própria Igreja e na leitura da Bíblia.

Lógico que li outros livros, lógico que não defendo as barbaridades e crimes cometidos pelos comunistas e pelos estados comunistas ao longo da história. Convenhamos, crer que comunismo é o que foi praticado na URSS, China entre outros países, bem como crer que os crimes e assassinatos cometidos por estes regimes fazem parte da ideologia comunista e que, ser comunista é isto, é como crer que todo o Islã e sua comunidade muçulmana é terrorista e potencialmente um homem-bomba.

É uma ideia simplista, tacanha e atrevo-me a dizer, mal intencionada. Lembra que meu imaginário era que eles comiam criancinhas? Pois é, nesta estória eu não caio mais. Erros cometidos por pessoas e estados comunistas não podem ser atribuídos à ideologia.

Por favor, não estou pedindo para ninguém acreditar em mim. O livro Animal Farm, de George Orwell, aborda o tema. É uma crítica ferrenha sobre o tipo de comunismo e toda a crueldade implantada por Lenin e Stalin na União Soviética. Engraçado é que, após o término da Segunda Guerra, o mesmo livro foi adotado pelos americanos para desconstruir a ideologia comunista. Ele virou desenho animado e filme, mas ambos não refletem a verdadeira crítica de Orwell. É tão somente mais uma forma de manipulação e doutrinação capitalista. Por isso, se tiver interesse, leia o livro.

Traição, corrupção, crueldade e crime não são exclusividade das ideologias. São inerentes ao ser-humano, as pessoas inescrupulosas, sociopatas e criminosas. Nenhuma ideologia pregar isto, seja ela liberal ou progressista. Isto vem de princípios e experiências de vida da própria pessoa.

Voltemos a Jesus Cristo e à minha tese. Retirei apenas sete passagens da Bíblia, para não ser extensivo, que demonstram como Jesus era mais que um profeta. Ele era um também um revolucionário comunista. Vejamos:

1. A vida é mais importante do que a comida, e o corpo, mais do que as roupas.

2. Bem-aventurados os pobres em espírito, pois deles é o Reino dos céus. Bem-aventurados os que choram, pois serão consolados. Bem-aventurados os humildes, pois eles receberão a terra por herança. Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, pois serão satisfeitos.

3. Portanto, Eu vos recomendo: Usai as riquezas deste mundo ímpio para ajudar ao próximo e ganhai amigos, para que, quando aquelas chegarem ao fim, esses amigos vos recebam com alegria nas moradas eternas.

a charge da acusação de comunista

B2QylaMIgAEP772

BofLP2JIgAAdfTa

4. Não acumulem para vocês tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e onde os ladrões arrombam e furtam. Mas acumulem para vocês tesouros no céu, onde a traça e a ferrugem não destroem, e onde os ladrões não arrombam nem furtam. Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração.

5. Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará a um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro ao mesmo tempo.

6. Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria.

7. Deus está dentro de você e ao seu redor, e não em castelos de pedra ou em mansões de madeira. Levante uma pedra e encontrará Deus. Quebre um pedaço de madeira e Ele estará ali. Quem souber o significado dessas palavras jamais conhecerá a morte.

As principais mensagens de Cristo foram o amor, a humildade, a partilha, a solidariedade e a compaixão. Isto, na visão, se encaixa perfeitamente ao Comunismo. Sei que é uma utopia, assim como o Anarquismo. Talvez por isso, ele tenha sido crucificado. Mas o Socialismo não. Ele é real, e se você aproximar sua lente aos países como Finlândia e Suécia, verá que a social democracia é justamente o caminho para o qual devamos trilhar.

Para terminar, deixo aqui um trecho do discurso do Papa Francisco no encontro com os Movimentos Sociais. Vejam só o que ele disse:

“Chamam-me de comunista, mas é Jesus que ama os pobres.”

“Terra, teto e trabalho. É estranho, mas se eu falo disso, o Papa é um comunista.”

“Não se compreende que o amor pelos pobres é o centro do Evangelho. Terra, casa e trabalho, aquilo para o qual vocês lutam, são direitos sagrados. Exigir tais coisas, de fato, não é algo estranho, é a doutrina social da Igreja.”

“Enfrentar o escândalo da pobreza não é uma ideologia, tem tudo a ver com a solidariedade que em sentido profundo significa fazer história e lutar contra as causas estruturais da desigualdade fazendo frente aos efeitos destrutivos do império do dinheiro.”

“Os pobres não esperam de braços cruzados a ajuda de ONGs ou planos assistenciais. Ponham os pés na lama e as mãos na carne. Tenham cheiro de bairro, de povo, de luta sobre as falhas de um sistema econômico centrado no deus do dinheiro, da grilagem, da pilhagem da natureza.” 

“O crime da fome, da miséria daqueles que estão nas ruas e são chamados de sem-teto, o excedente da mão de obra. Em geral, por trás de um eufemismo tem um delito.”

Agradeço ao Frei Betto por abrir minha mente e me libertar. Agradeço por me salvar da loucura e crueldade do fascismo, do preconceito e da megalomania do capitalismo. Obrigado por me fazer sair da Caverna de Platão, ou como se diz hoje em dia, da Matrix.

Agradeço ao professor Ismael por, mesmo sendo um adventista, ter sido imparcial e adotado o livro que esclareceu e desconstruiu a ‘verdade’ imposta pelo sistema. Hoje sou um outro homem. Um homem livre, cristão e socialista.

E antes que me crucifiquem como fizeram com Ele, deixo-vos mais uma mensagem do Mestre:

“Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão, e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho? Como você pode dizer ao seu irmão: ‘Deixe-me tirar o cisco do seu olho’, quando há uma viga no seu? Hipócrita, tire primeiro a viga do seu olho, e então você verá claramente para tirar o cisco do olho do seu irmão.”

Deixe seus preconceitos de lado, a doutrina subliminar e tente enxergar além do olho de Tandera. Leia, antes de tudo, para depois formar sua opinião.

Abraços, e fiquem com Deus.

Anúncios